Buscar
  • Pronto!

Forza e coraggio! Dia do imigrante italiano

Atualizado: Set 11

Seria muito difícil tentar falar da Itália, de seu povo e de sua cultura sem mencionar a grande onda migratória que aconteceu, sobretudo entre 1870 e 1970.

Durante 100 anos, muitos italianos deixaram a terra de origem e foram viver em outros países, entre eles o Brasil que recebeu milhões de imigrantes.


Estima-se que hoje no Brasil existam 30 milhões de descendentes de italianos, dos quais 40% são originários da região do Veneto, que compreende as Províncias de Rovigo, Treviso, Padova, Vicenza, Verona e Veneza.


Família Dal Prá (Rio Grande do Sul, por volta de 1930)

Os italianos levaram consigo sua cultura, refletida nos hábitos alimentares, costumes e principalmente na língua, que até hoje é falada em muitos lugares no Brasil. O talian é uma língua de origem vêneta, amplamente difundida principalmente nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

No início do movimento migratório, a língua italiana (tal qual a conhecemos hoje), havia sido recém oficializada. Muitas pessoas não sabiam ler e escrever e a forma eficaz de comunicação eram os dialetos. O talian sobreviveu como elemento cultural e de identidade de um povo que se reconhecia pela língua de origem.


A Itália estava em crise, causada também pela recente unificação. O governo brasileiro via nos imigrantes europeus uma ótima oportunidade de mão de obra para colonizar as terras e torná-las produtivas. Era também uma forma de "branquear" a população negra que começou a se tornar numerosa no Brasil depois de 13 de maio de 1888.*


A oferta parecia maravilhosa. Cartazes eram fixados nas cidades italianas convidando as pessoas a conhecerem a Mérica. Havia promessa de terras e melhores condições de vida, clima tropical e abundância. Trabalho independente e propriedades, terras férteis, assistência sanitária e educação.


Cartaz com a propaganda da "terra dos sonhos"

Foram muitos os italianos que venderam tudo o que tinham para comprar os bilhetes de uma viagem só de ida. Abandonaram a terra natal como única alternativa para a sobrevivência.

O barco a vapor levava em torno de 40 dias para atravessar o oceano e quase nada do que foi prometido havia de fato. La Sofia foi o primeiro navio a chegar em terras brasileiras. Atracou no Espírito Santo em 21 de fevereiro de 1874.**


Na Mérica os imigrantes encontraram terras a serem desbravadas, passaram fome e frio. Construíram estradas, ferrovias, casas, igrejas. Plantaram e colheram muitos produtos. Deram ao Brasil uma contribuição preciosa, com suas competências e capacidades profissionais.

Deixaram aos descendentes um legado sólido, histórias familiares que se misturam nas culturas italiana e brasileira e que pertencem aos dois mundos.

Se hoje podemos ter a dupla cidadania, devemos essa conquista a eles!


Se você quer mais informações a respeito do processo de reconhecimento da cidadania italiana entre em contato conosco pelo email: contato@prontodocumentos.com



* Giogia Miazzo, Le grandi migrazioni - dal nord Italia as Brasile (2016).

**Segundo o historiador Paulo Vendelino Kons, a primeira imigração italiana teria ocorrido em 1836 em São João Batista, Santa Catarina - Colônia Nova Itália, fundada por 132 imigrantes chegados da Sardenha.


© 2018 por Adriano Magalhães - Pronto! Documentos Italianos